Notícias // Integrantes de comunidades rurais e assentamentos do Estado reúnem-se com Comitê Gestor do Turismo Rural e de Base Comunitária

05 de setembro de 2013

Representantes de assentamentos de Reforma Agrária da Bahia apresentaram os resultados dos trabalhos realizados pelo projeto Terra Sol, da Fundação Juazeirense para o Desenvolvimento Científico, Tecnológico, Econômico, Sociocultural e Ambiental (FUNDESF), ao Comitê Gestor do Turismo Rural e de Base Comunitária da Bahia, nesta quarta-feira (4), durante uma oficina no Centro de Convenções da Bahia, realizada das 8h30 às 14h30.

A iniciativa, que propõe o fomento de atividades não agrícolas e a articulação com entidades parceiras, conta com o apoio da Secretaria do Turismo do Estado (Setur) e Bahiatursa. Promovido pela FUNDESF, a ação tem também o apoio do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Reforma Agrária, Pesca e Aquicultura (Seagri), e da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola S.A. (EBDA), envolvendo assentamentos da Chapada Diamantina, Recôncavo Baiano, e dos municípios Luiz Eduardo Magalhães, Jeremoabo e Santa Luz.

Durante o encontro, integrantes dos projetos de Assentamento de Reforma Agrária que trabalham com turismo rural de base comunitária na Bahia apresentaram suas potencialidades e as principais necessidades para se consolidar como produto turístico. O comitê comprometeu-se a analisar as demandas, que foram apresentadas por meio de um termo, e articular a validação das solicitações.

A coordenadora do Comitê Gestor do Turismo Rural e de Base Comunitária da Bahia, Ússula Pinto, ressaltou a importância do evento e destacou o crescimento do segmento. “O encontro representa um momento de construção, onde os representantes puderam apresentar aos membros do Comitê os trabalhos realizados nos assentamentos de Reforma Agrária do Estado. O turismo representa uma fonte de renda complementar para essas comunidades”, disse Ússula.

De acordo com a FUNDESF, nove zonas turísticas da Bahia já desenvolvem o trabalho com turismo rural de base comunitária: Baía de Todos-os-Santos, Costa das Baleias, Costa do Cacau, Costa do Dendê, Caminhos do Sertão, Caminhos do Sudoeste, Caminhos do Oeste, Caminhos do Jiquiriçá e Chapada Diamantina. Durante a oficina, os trabalhadores também assistiram a apresentações de representantes de diferentes comunidades locais e de fora do Estado.

Segundo o coordenador do projeto desenvolvido pelo Incra, Alberto Viana, o encontro é uma forma de aproximar os trabalhadores do Estado. “O principal objetivo é que as demandas das

comunidades sejam inseridas nas políticas do turismo. Aqui é um espaço criado para dar voz a eles”, explicou Viana, que destacou ainda a intenção de realizar mais desses encontros.

Representando a comunidade Lagoa de Boi, do povoado de Rose, no município de Santaluz, na Bahia, Ezequiel Santiago falou sobre a importância do encontro. “É muito significativo para o ciclo da produção da agricultura, e também aqui podemos trocar experiências com outros trabalhadores”, disse.

Para o delegado federal do Desenvolvimento Agrário, Welliton Rezende, a agricultura familiar está se consagrando no cenário central do país. “Com estratégia e desenvolvimento, a agricultura está conseguindo um destaque importante no Brasil. E o turismo rural agrega valores culturais e históricos, o que permite mostrar a realidade daquele lugar”, concluiu Rezende.